8 de dezembro de 2011

Quem é o seu amante?

Amante é "alguém!" ou "algo" que nos faz "namorar a vida" e nos afasta do triste destino de "ir levando"!..

OQAAAG1Co9pUYBOK5NUHKpRACNKihn6nQ8bPK1peTTHqimWrShKraKCw8rBupG7pfa18NB0-fa0-2oA8YKP3ZD6mZ8IAm1T1UBRdUc8MT_xNVUmsVehS8XN0agPV

"AMANTE é aquilo que nos apaixona; é o que toma conta do nosso pensamento antes de pegarmos no sono; é também aquilo que, às vezes, nos impede de dormir.

O nosso "AMANTE " é aquilo que nos mantém distraídos em relação ao que acontece à nossa volta.

É o que nos mostra o sentido e a motivação da vida.

Às vezes encontramos o nosso "AMANTE" em nosso parceiro.

Também podemos encontra-lo na pesquisa científica ou na literatura, na música, na política, no esporte, no trabalho, na necessidade de transcender espiritualmente, na boa mesa, no estudo ou no prazer obsessivo do passatempo predileto...

Enfim, é "alguém" ou "algo" que nos faz "namorar a vida" e nos afasta do triste destino de ir levando.

E o que é "ir levando"?

Ir levando é ter medo de viver. É o vigiar a forma como os outros vivem, é o se deixar dominar pela pressão, perambular por consultórios médicos, tomar remédios multicoloridos, afastar-se do que é gratificante, observar decepcionado cada ruga nova que o espelho mostra, é se aborrecer com o calor ou com o frio, com a umidade, com o sol ou com a chuva.

Ir levando é adiar a possibilidade de desfrutar o hoje,  fingindo se contentar com a incerta e frágil ilusão de que talvez possamos realizar algo amanhã.

Por favor, não se contente com "ir levando"... Seja também um amante e um protagonista DA SUA VIDA!

(Jorge Bucay - Psicólogo)

Acredite:

O trágico não é morrer; afinal a morte tem boa memória e nunca se esqueceu de ninguém.

O trágico é desistir de viver...

Por isso, e sem mais delongas, procure algo para amar...

A psicologia, após estudar muito sobre o tema, descobriu algo transcendental:

PARA  ESTAR SATISFEITO, ATIVO E SENTIR-SE JOVEM E FELIZ, É PRECISO NAMORAR A VIDA.

*Recebi esse texto por e-mail, achei fantástico o tema, então resolvi dividi-lo com vocês.

3 de agosto de 2011

Imunidade / Infecções

imunidade

Nosso sistema imunológico é uma complexa rede de tecidos, órgãos, células e substâncias que protegem o nosso corpo de infecções e doenças.

Nosso corpo está constantemente sob ataque de milhões de microorganismos, incluindo bactérias, vírus e fungos. Alguns até são benéficos para o organismo e por isso bem-vindos. No entanto, os outros que causam infecções não são. A melhor defesa contra eles é ter um sistema imunológico forte. A capacidade do seu organismo de lutar contra esses invasores é que vai determinar se você vai desenvolver a infecção, apresentando os sintomas relacionados, ou não.

Sintomas

Os sintomas de um sistema imunológico enfraquecido são gripes freqüentes, infecções parasitárias recorrentes e pequenas infecções que se tornam mais sérias. Os sintomas mais comuns de uma infecção são calor, vermelhidão, inchaço, odor desagradável e dor ao tocar. Em casos mais graves os sintomas podem ser febre, calafrios, náuseas, vômito, diarréia, fadiga e cansaço.

Frente de Guerra

Entre as células do sistema imunológico estão os glóbulos brancos, também chamados de leucócitos, que têm a função de combater agentes causadores de doenças, capturando os microorgamismos estranhos ao organismo. São elas, também, que produzem anticorpos contra doenças. No entanto, alguns fatores podem diminuir a quantidade dessas células de defesa no sangue, nos deixando mais desprotegidos.

'Quando há uma alteração no sistema imune e as células não conseguem responder ao agente agressor, seja ele um vírus, uma bactéria ou um fungo, ele não é eliminado do organismo, provocando a doença', explica a imunologista Elisabete Blanc, do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), no Rio de Janeiro.

Causas

As causas da baixa imunidade do organismo são diversas. Ela pode estar relacionada a Fatores Hereditários, a outras doenças como Aids e Diabetes, à Carência de Vitaminas, a Desequilíbrios Emocionais como Depressão e Estresse, à Obesidade, a uma Nutrição Desequilibrada etc.

Se você fica doente com facilidade, grandes são as chances de você estar com a imunidade baixa.

Fontes:

http://bemleve.feminice.com.br/qualidade-de-vida/aumente-sua-imunidade/1254

http://www.corpoperfeito.com.br/ce/imunidade_infeccoes

16 de maio de 2011

Cloreto de Magnésio – O Mineral do Milagre

cloreto_magnesio
Os Chineses antigos o chamam de “Mineral da Bela”, porque sua beleza está no poder da cura absoluta que ele contém.

O magnésio é um dos minerais essenciais para a regeneração celular, e é utilizado em mais de 350 reações enzimáticas no organismo, mais do que qualquer outro mineral. Ao lado de oxigênio e iodo, o magnésio é o terceiro elemento mais importante para sustentar a vida, assim como para reverter as doenças e o envelhecimento.

O magnésio é um mineral calmante para relaxar os músculos, relaxar as artérias e nervos excitados, enquanto o cálcio contrai os músculos. O magnésio é rapidamente utilizado pelas glândulas supra-renais em momentos de stress. O magnésio mantém o potencial elétrico (voltagem) através da membrana dos nervos e músculos e aumenta a capacidade das células brancas do sangue para combater as infecções em 300%.

O magnésio é essencial para o funcionamento de centenas de processos enzimáticos diferentes no corpo, particularmente aqueles que produzem, armazenam, transportam e utilizam a energia.

O magnésio é importante para os seguintes processos metabólicos:

· Na síntese da proteína: DNA e RNA em nossas células que necessitam de magnésio para o crescimento e desenvolvimento celular.
· Para aumentar os sinais elétricos que devem percorrer os nervos do nosso corpo (incluindo os impulsos para o cérebro, coração e função pulmonar).
· Regular e distribuir a energia em todo o corpo.
· Para pressão arterial normal, tônus vascular.
. Para transmissão de sinais das células nervosas, e do fluxo sangüíneo.
· Para nervos e funções musculares.
. Cloreto de Magnésio é um impressionante lutador contra infecção.

Os sinais de deficiência de magnésio:

dor_nas_costas
. Insônia
· Obesidade
· Enxaqueca
· TPM (SPM)
· Instabilidade emocional
· Depressão / Apatia
· Raiva
· Nervosismo
· Ansiedade
· Epilepsia
· Pedras nos rins
· Insuficiência Cardíaca Congestiva
· Fadiga Crônica
· Pressão arterial alta (hipertensão)
· Constipação
· Diabetes
· Cãibras musculares
· Osteoporose
· Artrite
· Artrose
· Pedras nos rins
· Problemas de memória
· Ruído Sensibilidade
· Dormência e formigamento
· Tiques nervosos
· Transpiração excessiva
· Anorexia
· Asma
· Envelhecimento acelerado


Esta é uma abordagem holística para a saúde natural e bem-estar. As informações fornecidas nesse artigo são apenas para fins informativos, de nenhum modo constitui uma consulta médica, ou o aconselhamento médico. Mas se você se identificou com algum dos problemas aqui citado, consulte um médico ou um Terapeuta Ortomolecular e esclareça suas dúvidas.

Está matéria foi extraído do site http://www.cloretodemagnesio.com/, para ler a matéria completa é só acessá-lo.

Agradeço ao meu cunhado Nilson que me indicou a matéria para ser postada aos seguidores do blog.

26 de março de 2011

Caminhos Sem Volta – Atitude E Consciência

Há uma frase do Chico Xavier que diz: Ninguém pode começar de novo mas, qualquer um pode fazer um novo fim.

Acho que isso se dá o nome de esperança.

 caminho escolhaO ser humano tende a atitudes egoístas, e geralmente atitudes assim sempre afetam alguém, e mesmo que a intenção não seja essa, a conseqüência geralmente o é.

Dores são provocadas, marcas se instalam em corações que geralmente não o merecem.

São caminhos sem volta, são mágoas, desilusões, decepções, descrenças que dificilmente serão sanadas.

Os mais fortes ou mais esperançosos, passarão por cima e continuarão suas jornadas abafando as dores.

Os mais iludidos acreditarão na melhor desculpa que sua própria ilusão criar, afim de amenizar o quadro.

Os mais amargos, enterrarão suas expectativas, suas esperanças e viverão a mercê dessas dores.

Mas todos de uma maneira ou de outra desejarão que seja feita justiça diante das situações.

E diz uma frase popular famosa: - Quem planta vento, colhe tempestade.

E você? Já pensou no caminho que tem trilhado? Já analisou se suas ações não estão visando apenas soluções para os seus problemas, ou desejos? Se essas soluções ou escolhas não vão agredir ou decepcionar as pessoas a sua volta? Se é justo ou correto oferecer isso a essas pessoas em benefício próprio.

A esperança faz o ser humano acreditar que embora não se pode consertar o passado, pode-se mudar o presente e conseqüentemente o futuro será ddois20rumos[1]iferente.

 A sua consciência é o seu Juiz. Então cuide para que seu Juiz não seja parcial e escolha o melhor caminho, aquele que te beneficie, mas que não afete aos que lhe são caros. Plante flores para que possa colher perfume.

Avaliar nossas atitudes, nos faz procurar o melhor em nós e corrigir o que passamos a enxergar como dispensável em nós.

14 de março de 2011

Sua Relação Afetiva está doente?

corazon partido.

Muitas vezes nos encontramos sofrendo e ignoramos os sinais evidentes que o relacionamento que estamos mantendo não está bem e, mesmo assim, continuamos a investir nosso tempo, damos nosso amor e ignoramos os sinais e nossos sentimentos. Chegamos a ter sintomas físicos e sequer associamos com a relação afetiva que mantemos. Geralmente fazemos isso por motivações inconscientes. Recriamos situações do passado, com o intuito inconsciente, de resolvermos essas mesmas situações. E assim, mantemos os conflitos originais e perdemos a oportunidade de criarmos relações saudáveis ao permitir que nos façam sofrer e ainda lamentamos se essa mesma pessoa for embora de nossa vida. Choramos desesperadamente, e nos esquecemos completamente do quanto estávamos, ou ainda estamos, sofrendo.
Ignoramos nosso valor enquanto pessoa e fazemos de tudo para que essa relação doentia se estabeleça novamente, caso ela tenha terminado. Dificilmente, percebemos que estamos tão doentes quanto nossa relação. Para identificar como está sua relação afetiva, responda sinceramente às perguntas que estão abaixo:


Ouve constantemente o outro dizer que não teve tempo de te ligar?
As palavras raramente são coerentes com as atitudes? Ou seja, o outro diz uma coisa e demonstra outra?
A realidade está muito distante do que gostaria que fosse?
Está sempre suportando demais, tornando seus próprios limites acima do suportável?
Têm tido alguns sintomas físicos, como dores musculares constantes, enjôos, vontade de vomitar, dores de estômago, febre, urticária ou algum outro sintoma?
Não há mais objetivos em comum, não querem e nem lutam pelas mesmas coisas?
Sente-se inseguro constantemente?
Tem feito a maioria dos programas sozinho, porque o outro nem sempre quer acompanhar?
Você se sente sempre triste? Tem chorado praticamente todos os dias?
Deseja controlar o outro com o intuito de ter mais controle na relação?
Os beijos estão ficando escassos? A relação sexual não tem mais o mesmo calor e tesão de tempos atrás?
O diálogo passou a ser uma troca de cobranças, críticas, acusações e agressões?
Acontecimento do passado tem sido lembrado com freqüência, principalmente durante as brigas?
Tem se sentido sem energia, cansado?
Não se sente muito importante para o outro, que sempre tem outras coisas para fazer e que você não está incluído?
Sua auto-estima está baixa?
Tem feito muito mais coisas para o outro, esquecendo-se muitas vezes de si mesmo?
Está sempre esperando que o outro mude, ou ao menos, volte a ser como era antes?
Vocês tem tido mais brigas que momentos de tranqüilidade, harmonia e paz?
Está sempre esperando ou pedindo mais atenção, carinho, demonstração de amor?
Sente falta de ter alguém para ouvir como foi seu dia, suas dificuldades?
O diálogo, onde cada um fala de seus próprios sentimentos está cada vez mais escasso ou nunca existiu?
Sente-se sozinho mesmo quando acompanhado?


Infelizmente esses são apenas alguns sinais de uma relação afetiva doente, pois ainda há situações de traições, mentiras, que sequer foram incluídas. Mas se suas respostas às questões acima foram mais "sim" do que "não", provavelmente seu relacionamento afetivo está com problemas, para não dizer doente. Geralmente quando nos permitimos manter uma relação doentia, ela pode estar refletindo a doença de ambos e nesse caso é preciso muita disposição interna para enfrentar a situação da maneira que se apresenta, se desejamos que a relação, ou nós mesmos, sejamos curados.
O assunto é tão sério que muitas pessoas chegam a desenvolver algumas doenças ou têm sintomas e ignoram que isso seja a somatização daquilo que estão vivenciando. Por exemplo, a febre pode representar a raiva de determinada situação; a vontade de vomitar pode manifestar uma dificuldade em digerir alguma situação; as dores musculares podem indicar a tensão interna pelo qual está passando. Esses são apenas alguns dos sintomas mais comuns quando algo não vai bem não apenas no aspecto físico, mas principalmente no emocional. Caso esteja tendo algum desses sintomas, relacione com suas dificuldades atuais e pense se o seu corpo não está apenas refletindo seus sentimentos mais profundos.
Mas é possível se curar, buscando uma relação saudável, ou refletir se vale à pena continuar mantendo esse relacionamento. Analise como está sua relação, caso ainda a tenha, ou como foi sua última relação. É isso que deseja para você? Se pensar em como gostaria que fosse um relacionamento, o que você está tendo está próximo disso? O primeiro passo para a cura é identificar os sinais, refletir sobre as dificuldades pessoais e o quanto seu próprio histórico de vida pode estar refletindo na relação. Depois é imprescindível uma conversa franca com o outro, sem acusações ou busca por culpados, mas com o desejo sincero de tornar a relação saudável. Durante essa conversa é importante perceber se há disposição do outro em aceitar também a responsabilidade da relação estar como se mostra e se deseja tanto quanto você se comprometer com a melhora. Se isso não acontecer dependerá de você saber o que é melhor.


Há pessoas que chegam a se sentir culpadas em querer que a outra pessoa demonstre o amor que sente. Claro que cada um tem seu próprio jeito de demonstrar amor, mas algumas coisas são básicas em um relacionamento. Como alguém pode se sentir importante e valorizado tendo constantemente que pedir atenção e amor? Como se sentir seguro quando nos relacionamos com alguém que age como se tudo é mais importante que nós?


Claro que é inevitável ter expectativas quando nos relacionamos com alguém, mas isso é muito diferente de ignorar a realidade só para manter a relação, principalmente, quando os sinais são evidentes e insistimos em ignorá-los, perpetuando assim, nosso sofrimento. Muitas vezes a realidade está muito distante da verdade que gostaríamos e insistimos em acreditar. Mas lidar com a realidade, respeitando os sinais, ainda que nos cause muito sofrimento, talvez seja a maneira mais saudável para criarmos um caminho muito mais iluminado que a escuridão em que algumas vezes nos encontramos e que, infelizmente, ignoramos.

Encontrei esse texto da Psicóloga Rosemeire Zago no site Somos todos um.

http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/c.asp?id=08498