17 de junho de 2010

Algumas Doenças e suas causas Metafísicas

Trouxe pra vocês hoje uma relação simplificada de causas Metafísicas de doenças mais comuns.

Gateway

ACNE Não aceitar ou desgostar de si mesmo.
AIDS Sentir-se indefeso e sem esperança. Culpa sexual.
ALCOLISMO Rejeição própria, sentir-se inútil.
ALERGIA Estado de alerta diante das situações da vida. Tendência a ficar na defensiva. Estado emocional abalado. Negar a força interior.
ALZHEIMER Não aceitação da vida que tem. Sentir-se derrotado.
AMIDALITE Emoções reprimidas, criatividade sufocada.
ANEMIA Medo da vida, falta de alegria. Postura constante do “Sim, mas….” Sabotar a capacidade de ser bom nas coisas que se propõe a realizar.
ANOREXIA Negar a própria vida. Medo excessivo de ser rejeitado. Ódio extremo de si mesmo.
ANSIEDADE Não confiar no percurso da vida.
APENDICITE Medo da vida. Bloqueio do fluxo do que é bom.
ARTERIOSCLEROSE Resistência. Recusa em ver o bem.
ARTRITE Sentir-se não amado e sentir-se criticado. Forte ressentimento.
ASMA Sentimento contido. Choro reprimido.
AUDIÇÃO Não querer ouvir. Raiva e Confusão.
BULIMIA Ódio próprio. Sem esperança.
BRONQUITE Ambiente Pesado na família. Gritos, discussões.
CALVÍCIE Medo, Tensão, tentar controlar tudo e não confiar no processo da vida. Não confiar naquilo que pensamos ou sentimos.
CÂNCER Profunda dor. Sofrimento em segredo. Mágoa Profunda.
CATARATA Incapacidade de olhar em frente com alegria.
COLESTEROL Dificultar as formas de diversão. Medo de aceitar a alegria.
CÓLICAS Aborrecimento com algumas pessoas.
CÓLICA MENSTRUAL Dificuldade de lidar com mudanças. Apego excessivo a uma situação e não realizar as transições necessárias.
COLITE Constituição de laços familiares e afetivos com caráter de dependência. Profunda irritação pela situação que provocou o rompimento de uma relação simbiótica.
COMA Medo. Tentar fugir de alguma situação ou alguém.
COCEIRA Sem satisfação. Ter desejos que vão contra ao que é natural.
COLUNA CERVICAL Excesso preocupação, tensão. Não sentir-se amado, falta de suporte emocional.
COLUNA TORACICA Sentimento de culpa, não saber o que fazer diante das dificuldades.
COLUNA LOMBAR Angustia e preocupações, fugindo de tomar decisões que modificarão sua vida. Problemas financeiros.
CORAÇÃO Falta de diversão. Gosto por dinheiro e posição social. Mágoas.
COXA Medo de seguir com decisões tomadas.
DEDOS POLEGAR: Inquietação, estar sempre pensando.
INDICADOR: Medo da autoridade.
MÉDIO: Raiva ou insegurança na intimidade.
ANULAR:Pena de Amor, problema com compromisso.
MINDINHO: Ignorar a própria criatividade. Problemas com a família.
DENTES Insegurança, duvidas que abalam a força realizadora.
DENTES (canal) Crenças destruídas por sérias decepções.
DEPRESSÃO Sentir-se fragilizado, abatido. Sem esperança. Raiva, desilusão. Falta de auto estima.
DERRAME CEREBRAL Desistir e Rejeitar a vida.
DESMAIOS Medo de confronto, perda da noção do que está para acontecer. Fuga.
DIABETES Falta de docilidade na vida.  Frustações e sofrimentos que o tornaram triste, rancoroso e pessimista. Não consegue se desprender das mágoas. Não ter transmitido amor ao longo da vida.
DIARRÉIA Medo e fuga. Desapego
DIVERTICULITE Estado interior de saudosismo e arrependimento. Pessoa triste e amargurado.
DOR DE CABEÇA Resistência em acatar acontecimentos inusitados da vida, se opor e não admiti-lós. Autocrítica.
EDEMAS NAS PERNAS Atitude de recolhimento, falta de entrega à vida e às situações existenciais. Medo de abandono.
ENDOMETRIOSE Não estar seguro quanto ao seu próprio jeito de ser.
ENXAQUECA Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista.
EPILEPSIA Pessoa impulsiva, criativa, porém reprime todos esses entusiasmos, tornando-se uma pessoa moderada e pacata.
ERISIPELA Ferimentos obtidos no contato com a realidade. O quanto a pessoa se machucou no contato com aqueles que o cercam. Falta de desprendimento do que aconteceu de ruim. Arrependimento do que fez ou pela lembrança dos episódios nocivos que enfrentou no passado.
ESTRIA Rompimento consigo mesmo. Não falar aquilo que pensa.
FEBRE Raiva. Irritar-se muito.
FIBROMA Bloqueio e negação da originalidade. Alimentar mágoas causadas pelo parceiro.
FRIGIDEZ Negação do Prazer.
FURÚNCULO Reprovação das próprias características, negar seu jeito de ser.
GAGUEJAR Insegurança, falta de expressão, dificuldade em chorar.
GARGANTA (dor) Agüentar palavras mais furiosas. Incapacidade de expressar-se.
GASES Preocupação.
GASTRITE Irritação com o que se passa ao redor. Não transformação das situações. Não sabe lidar com aborrecimentos. Incerteza profunda.
GENGIVAS Incapacidade de recuar e tomar decisões. Não ter opinião própria sobre a vida.
GRIPE Confusão e perturbação mental. Necessidade de atenção.
GLÂNDULA PITUITÁRIA Sentir-se fora de controle. Não conseguir controlar seu destino.
HÉRNIA Sensação de aflição. Ruptura de relacionamento.
HEMORRÓIDA Medo de prazos determinados.  Raiva do passado. Medo de desistir e continuar.
HEPATITE Raiva, ódio. Resistência a mudanças.
INDIGESTÃO Temor ou ansiedade com evento próximo.
INFECÇÃO Irritação, raiva ou aborrecimento sobre uma situação recente.
INFECÇÃO URINÁRIA Conflitos no relacionamento. Sentir-se irritado. Usualmente com o sexo oposto ou amado.
INSÔNIA Medo, insegurança, não confiar na vida.
INTESTINO Me.do de relaxar.
ITIS Qualquer doença com ITIS no final da palavra é associada a Medo. Não se sentir capaz de fazer o que acha ser suficiente.
JOELHO Orgulho ou teimosia. Medo de seguir em frente. Pessoas que se apóiam nos outros.
LABERINTITE Medo de não estar no controle.
LARINGITE Medo de levantar a voz.
LINFÁTICO (sistema) Atitude de recolhimento, falta de entrega à vida e às situações existenciais. Medo de abandono. Insegurança e Medo do futuro.
MANDÍBULA Raiva, ressentimento, necessidade de vingança. Não saber desistir.
MÃO Elevado desejo de sucesso ou fama. Não lidar bem com as coisas.
MENINGITE Tumulto interior. Falta de apóio.
MENOPAUSA Medo de não voltar a ser querida.
MENSTRUAÇÃO Negação da feminilidade.
MÚSCULOS Resistência a novas experiências. Não ser capaz de mobilizar-se livremente ou com facilidade.
NARIZ Eu interior, como me vejo.
NÁUSEA Rejeitar uma idéia ou experiência. Resistência ao que se desenrola ao redor.
NERVOSISMO Medo, ansiedade, estar sempre com pressa.
NÓDULOS Ressentimento, frustação. Ego ferido.
OLHOS ASTIGMATISMO: Medo de ver a si próprio.
MIOPIA: Medo do futuro.
OMBRO Sentir que a vida é uma sobrecarga.
OVÁRIOS Incapacidade em expressar ou aceitar a própria criatividade.
OSSOS Pressão e firmeza mental.
PÂNCREAS Não ser capaz de desfrutar da doçura da vida.
PARALISIA CEREBRAL Necessidade de unir a família numa ação de amor.
Medo do futuro ou não querer  avançar.
PEITO ESQUERDO: Não sentir-se amado. Recusa em manter a si próprio. Colocar os outros em primeiro lugar.
DIREITO: Excesso de proteção ou influência. Dificuldade em transmitir amor.
PELE Ansiedade, medo. Sentir-se ameaçado.
PERNA Colapso dos seus ideais. Não viver seus ideais.
PESCOÇO Recusar ver o outro lado ou posição de alguém. Teimosia.
PESO (Excesso) Sentir uma profunda necessidade de proteção emocional. Escapar dos sentimentos, insegurança, medo.
PNEUMONIA Sentir-se desesperado, desistir de tentar, sem coragem para cicatrizar as feridas. Desistir da vida.
PRESSÃO SANGUINEA ALTA: Problemas com emoções antigas que não foram resolvidas.
BAIXA: Falta de amor e derrotismo. Atitude “de que serve…”
PRISÃO DE VENTRE Preso ao passado. Medo de não ter dinheiro suficiente.
PRÓSTATA Medos que enfraquecem a masculinidade. Prazer Sexual e desejo com culpa ou fraqueza.
PULMÃO Depressão, tristeza ou medo de viver. Não sentir-se digno. Medo de absorver a vida.
PULSO Não ser flexível num assunto ou situação.
PÚSTULAS (bolhas) Pequena explosão de raiva.
QUEIMADURA Raiva, irritar-se com freqüência.
QUISTOS Alimentar mágoas. Falsa evolução.
RESFRIADO Reagir a negatividade em massa.  Colocar muita esperança nas situações. Desordem, mágoa.
RESPIRAÇÃO Medo ou recusa na compreensão da vida. Não sentir-se digno.
REUMATISMO Sentir-se vitimado, falta de amor. Amargura Crônica.
RINITE ALÉRGICA Congestão emocional. Culpa, crença em perseguição.
RIM Sentir-se como se não tivesse feito o suficiente. Medo da crítica, do fracasso, desapontamento.
RINS (Pedras) Raiva não solucionada.
RONCO Recusa teimosa em deixar seus ideais.
SANGUE Falta de diversão.  Falta de circulação das idéias.
SINUSITE Irritação provocada pelas pessoas que te rodeiam. A causa não é o que a pessoa faz e sim o fato dela não corresponder ao que você esperava que fizesse.
SURDEZ O que não se quer ouvir? Sentir-se isolado, medo da rejeição.
TESTÍCULOS Não aceitar os princípios da masculinidade.
TIREÓIDE Humilhação. Sentir-se reprimido ou Sacrificado. Sentir que nunca obtêm o que deseja.
TORNOZELO Inflexibilidade em manter-se de pé.  Incapacidade  em receber satisfação.
TOSSE Desejo de gritar ao mundo: “OUÇAM-ME!!!”
TRIGLICÉRIDES Rupturas familiares que deixam seqüelas emocionais.
TUMOR Fundamentar-se em remorsos, feridas e choques.
TÚNEL DO CARPO Sentir-se limitado e não achar que está fazendo o suficiente.
ÚLCERAS Agarrar-se ao medo. Não confiar no processo de vida. Sente-se pressionado, não encara os obstáculos, se corrói por dentro, cobra-se, auto-agride.
UNHAS (roer) Frustração.
VEIAS VARICOSAS Manter-se numa situação que odeia. Sentir-se sobrecarregado. Desencorajamento.
VERRUGA Pequena expressão de ódio.Sentir-se ou acreditar que é feio.
VERTIGEM Excêntrico, frívolo. Pensamento disperso.
VÍCIOS Fugir, não afrontar o medo ou não gostar de si próprio.
VISÍCULA Excesso de tolerância. Protelar a manifestação do que lhe incomoda. Não expressar sua indignação.
VOMITAR Rejeição violenta das idéias. Medo da novidade.

Estudiosos da Metafísica sugerem como remédio a esses males: ACEITAÇÃO, PERDÃO, AMOR E AUTO ESTIMA.

Nilma Soares

Pesquisas realizadas em:

http://equilibriomentecorpo.blogspot.com/2009/08/doencas-mais-comuns-e-sua-respectiva_23.html

http://equilibriomentecorpo.blogspot.com/2008/06/metafsica.html

Metafísica da Saúde – Vol.. I- II- III – Valcapelli e Gaspareto

http://www.bancodesaude.com.br/user/1402/blog/metafisica-saude-o-significado-das-doencas

10 de junho de 2010

O Jogo da Vida - Dianética

xadrez

Você sabe o que é a vida, realmente? Bem, você nasce cresce, estuda, trabalha, ganha dinheiro, gasta dinheiro, casa, tem filhos,
separa, casa de novo; muito bem, mas qual é o sentido de tudo isso?
O escritor e filósofo americano L. Ron Hubbard descreve a vida assim:


"Podemos compreender melhor a vida ao compará-la a um jogo.
Apesar da quantidade de sofrimento, dor, miséria, tristeza e angústia que podem existir na vida, a razão da existência é a mesma razão que se tem para jogar um jogo: interesse, competição, atividade e posse". "A vida é um jogo. Um jogo é composto de liberdade, barreiras e propósitos Isto é um fato científico, não uma mera observação".


Com um exemplo podemos perceber se essa afirmação tem procedência.
Num jogo de futebol o propósito é o gol, a liberdade é poder correr e driblar os jogadores oponentes, é poder passar a bola a outro jogador do mesmo time e fazer uma jogada conjunta que leve ao gol.
As barreiras são os jogadores adversários, o cansaço, os erros de passe e lances ao gol, as faltas, as quedas que podem machucar e etc.
Enquanto houver um propósito e as barreiras forem equilibradas às liberdades, o jogo seria bem interessante. Jogar contra um time muito mais forte ou muito mais fraco não seria bom. Não haveria realmente uma condição de jogo, não é verdade?
Na vida, nós temos um impulso muito forte à sobrevivência. Por isso que apesar de muitas barreiras ou dificuldades, continuamos jogando o jogo da vida.
Você deve ter notado que começa a desistir quando a quantidade de barreiras, dificuldades e sofrimentos é tanta que acaba desequilibrando e inibindo a força dinâmica da sobrevivência.
Isso acontece com você no seu dia-a-dia, só que em uma escala menor.
Cada vez que você se sente desmotivado, inseguro, indeciso e quer desistir de alguma atividade ou objetivo é porque houve um desequilíbrio entre liberdades e barreiras no seu jogo.
Da mesma forma que esquecer do gol levaria à derrota do time no jogo de futebol, a sua vida começa a decair quando você esquece de seus objetivos.
Barreiras muito potentes como falta de motivação, insegurança, estresse, falta de confiança etc. inibem sua capacidade de jogar o jogo da vida e vencer.


Hubbard descobriu que essas barreiras vem de uma parte inconsciente da sua mente denominada por ele de mente reativa.
A mente reativa grava e armazena  experiências de dor e sofrimento e depois as usa contra você, sem o seu conhecimento e controle.
Com a descoberta da existência e funcionamento da mente reativa, Hubbard conseguiu desvendar os mistérios da mente humana e do comportamento irracional. Ele desenvolveu também uma técnica que traz o equilíbrio de volta à sua vida.

Com base nesses dados concluímos que as respostas aos conflitos do Homem estão na sua própria mente e por isso podem ser resolvidos.

Matéria recebida de Simone Rocha – Dianética Brasil.